Verifica Restore em Tempo Real – SQL Server

Neste artigo irei mostrar uma query que mostra informações de um RESTORE em tempo real.

A query irá retornar os seguintes campos:

  • HostName: nome do servidor (hostname) na qual a sessão está sendo executada.
  • LoginName: nome do logon do SQL Server no qual a sessão está sendo executada.
  • SessionID: id da sessão a que esta solicitação está relacionada.
  • Percent: porcentagem de trabalho concluída até o momento.
  • MinutesRunning: tempo de execução em minutos.
  • StartTime: data/hora do inicio do RESTORE.
  • EstimatedCompletion: data/hora previsto para o fim do RESTORE.
  • DatabaseName: database no qual a solicitação está em execução.
  • ProgramName: nome do programa cliente (ou JOB) que iniciou o RESTORE.
  • Command: identifica qual tipo de comando está sendo realizado no momento.
  • Text: comando SQL utilizado no RESTORE.

Links úteis:
sys.dm_exec_requests
– sys.dm_exec_sessions
– sys.dm_exec_sql_text
dbo.sysjobs

* esta query é compatível com o SQL Server 2008 R2 ou versões superiores.

USE master
GO
SELECT
S.Host_Name AS [HostName]
,S.Login_Name AS [LoginName]
,R.Session_ID AS [SessionID]
,Cast(R.Percent_Complete AS decimal(10,3)) AS [Percent]
,IsNull(DateDiff(minute, S.Last_Request_Start_Time, GetDate()), 0) [MinutesRunning]
,Start_Time AS [StartTime]
,DateAdd(second, Estimated_Completion_Time / 1000, GetDate()) AS [EstimatedCompletion]
,DB_Name(R.Database_ID) AS [DatabaseName]
,(CASE
WHEN S.Program_Name Like 'SQLAgent - TSQL JobStep (Job %' THEN J.Name
ELSE S.Program_Name END) AS [ProgramName]
,R.Command
,B.Text
FROM
sys.dm_exec_requests R WITH (NOLOCK)
JOIN
sys.dm_exec_sessions S WITH (NOLOCK)
ON
R.Session_ID = S.Session_ID
OUTER APPLY
sys.dm_exec_sql_text(R.SQL_Handle) B
LEFT OUTER JOIN
msdb.dbo.sysjobs J WITH (NOLOCK)
ON
(SubString(Left(J.Job_ID, 8), 7, 2) +
SubString(Left(J.Job_ID, 8), 5, 2) +
SubString(Left(J.Job_ID, 8), 3, 2) +
SubString(Left(J.Job_ID, 8), 1, 2)) = SubString(S.Program_Name, 32, 8)
WHERE
R.Session_ID > 50
AND R.Session_ID <> @@SPID
AND S.[Host_Name] Is Not Null
AND R.Command = 'RESTORE DATABASE'
ORDER BY
S.[Host_Name], S.Login_Name

Resultado:

resultado_query

 

Anúncios

Prefixo N em T-SQL – SQL Server

Por que o prefixo N é utilizado nos parâmetros de funções nativas do SQL Server (sp_helptext N’sp_minhaproc’) e por que ela é utilizada no T-SQL?

A resposta para esta pergunta é bem simples. O motivo pela qual você deve utilizar sempre o prefixo N é porque os parâmetros em questão são do tipo nvarchar, nchar ou ntext. O nvarchar, nchar e o ntext são tipos de dados que utilizam um conjunto de caracteres UNICODE UCS-2. O conjuntos de caracteres UNICODE UCS-2 são utilizados quando há alguns idiomas que possuem caracteres especiais no alfabeto, como por exemplo: polônes, japonês, entre outros. Quando você utiliza o prefixo N’xyz’, significa que você está convertendo o parâmetro para UNICODE.

Veja o exemplo a seguir:

DECLARE @ncTeste1 nchar(1)
DECLARE @ncTeste2 nchar(1)

Set @ncTeste1 = 'ą'
Set @ncTeste2 = N'ą'-- Com a conversão para unicode

SELECT @ncTeste1 AS [Sem N], @ncTeste2 AS [Com N]

Veja o resultado do exemplo:

duvidas01

É altamente recomendável utilizar o N quando for utilizar alguma função nativa do SQL Server e também quando o campo em questão for do tipo nvarchar, nchar ou ntext, por mais que você não esteja utilizando algum caractere especial.

Sequência de Collation – SQL Server

As sequências de collation controlam o modo como o SQL Server trata dados alfanuméricos para as opções de armazenamento, recuperação, classificação e comparação. O SQL Server permite especificar uma sequência de collation para suportar qualquer idioma atualmente usado no mundo.

As sequências de collation podem ser especificadas nos níveis de instância, banco de dados, tabela e coluna. A única sequência de collation que é obrigatória é definida em nível de instância, que tem como padrão todos os outros níveis, a não ser que sejam especificamente cancelados.

Uma sequência de collation define o conjunto alfanumérico suportado, incluindo diferenciação de letras maiúsculas e minúsculas, acentos e kana. Por exemplo, se você utilizar a sequência de collation SQL_Latin1_General_CP1_CI_AI, obterá suporte para um conjunto alfanumérico da Europa Ocidental que não diferencia letras maiúsculas e minúsculas e acentos. SQL_Latin1_General_CP1_CI_AI trata e, E, è, é, ê, e ë como se fossem o mesmo caractere para operações de classificação e comparação, enquanto uma sequência de collation francesa, que diferencia letras maiúsculas e minúsculas (CS) e acentos (AS), trata cada uma delas como um caractere diferente.

Para listar quais são as Collations disponíveis no SQL Server, execute o script a seguir:

SELECT * FROM ::fn_helpcollations()

Você terá este resultado:

collation_01

Notem que no final de cada collation existem algumas siglas (_AS, _WS, etc). Essas siglas possuem algumas diferenças que influenciam diretamente no resultado de uma consulta (ou qualquer outra query) e algumas funcionalidades no banco de dados. São 6 siglas:

AI: Accents Insensitive
AS: Accents Sensitive
CI: Case Insensitive
CS: Case Sensitive
KS: Kanatype Sensitive (1)
WS: Width Sensitive (2)

(1) Kana-sensitive: Especifica que o SQL Server deve distinguir entre os dois tipos de caracteres kana japoneses: hiragana e katakana. Se não for selecionada o SQL Server considera caracteres hiragana e katakana iguais.

(2) Width-sensitive: Especifica que o SQL Server deve distinguir entre um caractere de byte único (meia largura) e o mesmo caractere quando representado como um caractere de byte duplo (largura total). Se não for selecionada o SQL Server considera o byte único e byte duplo igualmente.

Ambas as notas ditas acimas são praticamente não utilizadas.

– Para saber a collation configurada a nível de instância (configurada na instalação), execute o script a seguir:

SELECT ServerProperty('Collation') As Collation_Name, ServerProperty('CollationID') As Collation_ID

– Para saber a collation configurada no seu banco de dados (database), execute o script a seguir:

SELECT DatabasePropertyEx('Database','Collation') As Collation_Name_DB

– Para saber a collation configurada em uma tabela, execute o script a seguir:

SELECT 
	Name, Collation 
FROM
	syscolumns 
WHERE 
	[Id] = Object_ID('Tabela')

Caso o retorno em alguma coluna seja NULL, significa que a collation assumida pela mesma é a mesma collation do database.

Links uteis
Como alterar a collation a nível de instância;
Conflitos de Collation em operações de comparação;
Eliminando caracteres especiais de strings no SQL Server.

Script para listar objetos dependentes – SQL Server

Neste artigo irei mostrar um script que mostra todos os objetos e suas respectivas dependências em um database.

Este script é útil para algumas situações, por exemplo: você irá realizar uma manutenção em uma procedure, e para isto você precisa saber quais são os objetos ‘dependetes’ desta mesma procedure a fim de verificar se estes objetos dependentes poderão ser impactados. Outro exemplo: você irá adicionar um novo campo em um tabela X, com este script você pode verificar a quais procedures, views ou functions utilizam esta tabela, entre outros.

O scritpt retorna os seguintes campos:

– DBName: nome do database;
– Object_Schema: o schema do objeto pai;
– Object_Name: o nome do objeto pai;
– Child_Schema: o schema do objeto dependente (filho);
– Child_Name: o nome do objeto dependente (filho);
– Child_Type: o tipo do objeto, por exemplo: USER_TABLE, SQL_STORED_PROCEDURE, etc.

O script analisa as views sys.objects e sysdepends.

Script

Use <Database>
SELECT
	 DB_Name() As DBName 
	,Referencing.DBObject_Schema As Object_Schema
	,Referencing.DBObject As [Object_Name]
	,Referenced.Child_DBBObject_Schema As [Child_Schema]
	,Referenced.Child_DBObject As [Child_Name]
	,Referenced.Child_DBObject_Type As [Child_Type]
FROM
(
	SELECT
		 [Object_ID] As DBObject_Id
		,Schema_Name([Schema_ID]) As DBObject_Schema
		,Name As DBObject
		,Type_Desc As DBObject_Type
	FROM
		sys.objects
	WHERE
		Type Not In('D','IT','PK','SQ','UQ','U','S','TR')
) Referencing
LEFT OUTER JOIN
(
	SELECT
		 Id As Parent_DBObject_Id
		,DepId As Child_DBObject_Id
		,Schema_Name([Schema_ID]) As Child_DBBObject_Schema
		,Name As Child_DBObject
		,Type_Desc As Child_DBObject_Type
	FROM
		sysdepends 
	JOIN	
		sys.objects
	ON
		[Object_ID] = DepId
	GROUP BY
		Id, DepId, [Schema_Id], Name, Type_Desc
) Referenced
ON
	Referencing.DBObject_Id = Referenced.Parent_DBObject_Id

Se você quiser obter as dependências de um objeto especifico, a cláusula WHERE deve ficar desta maneira:

(...)
ON
	Referencing.DBObject_Id = Referenced.Parent_DBObject_Id
WHERE 
	Referencing.DBObject = 'ObjectName'

Ou caso você queria obter os objetos pais de um objeto especifico (são referenciados), a cláusula WHERE deve ficar desta maneira:

(...)
ON
	Referencing.DBObject_Id = Referenced.Parent_DBObject_Id
WHERE 
	Referenced.Child_DBObject = 'ObjectName'

Verifica coleta de estatísticas das Tabelas e Índices – Oracle

Neste post irei mostrar um script que verifica a data da última coleta de estatísticas dos índices e tabelas no Oracle.

Antes de mostrar o script, irei deixar alguns links de conteúdo caso você ainda tenha alguma duvida, ou também não compreenda muito bem como funciona a coleta de estatísticas no Oracle, ou como fazer uma coleta de estatísticas, etc. São eles:

Gerenciando Estatísticas do Otimizador;
Coletando estatísticas para o otimizador de queries do Oracle;
Entendendo o Otimizador de Coleta de Estatísticas (conteúdo excelente!);
ALL_IND_STATISTICS.

Ambos scripts retornam os seguintes campos:
Schema: a qual schema (dono) o objeto faz parte;
Objeto: o nome do objeto;
Tipo do Objeto: qual é o tipo do objeto, neste caso: tabela ou índice;
Qtd. de Linhas: retorna o número de registros que o objeto possui;
Ultima Coleta: mostra a data e hora que fora realizada a última analise (coleta) no objeto.

Verifica a coleta de estatísticas das tabelas

SELECT
   S.Owner As "Schema"
  ,S.Table_Name As "Objeto"
  ,S.Object_Type As "Tipo do Objeto"
  ,S.Num_Rows As "Qtd. de Linhas"
  ,To_Char(S.Last_Analyzed, 'yyyy-MM-dd HH24:mm:ss') As "Ultima Coleta"
FROM
  sys.dba_tab_statistics S
WHERE
  S.Owner Not In('SYS', 'SYSTEM', 'SYSMAN', 'DBSNMP')
ORDER BY
  S.Last_Analyzed;

Verifica a coleta de estatísticas dos índices

SELECT
   S.Owner As "Schema"
  ,S.Table_Name As "Objeto"
  ,S.Object_Type As "Tipo do Objeto"
  ,S.Num_Rows As "Qtd. de Linhas"
  ,To_Char(S.Last_Analyzed, 'yyyy-MM-dd HH24:mm:ss') As "Ultima Coleta"
FROM
  sys.dba_ind_statistics S
WHERE
  S.Owner Not In('SYS', 'SYSTEM', 'SYSMAN', 'DBSNMP')
ORDER BY
  S.Last_Analyzed;

Tamanho do Banco de Dados em MB – Oracle

Neste artigo irei mostrar um script que mostra o tamanho da base de dados em uma instância do Oracle.

O script retorna os seguintes campos: Data, Undo, Redo, Temp, Livre e Total. Para entendimento de alguns campos retornados no script, segue alguns links para melhor entendimento do significado e a importância de cada um:

Arquivos de Data (Datafiles, tablespaces);
Undo;
Redo;
Temp.

Script:

SET FEED OFF

prompt
prompt TAMANHO DO BANCO DE DADOS EM MB
prompt ===============================

col dados for a10
col undo  for a12
col redo  for a12
col temp  for a12
col livre for a12
col total for a12

select to_char(sum(dados) / 1048576, 'fm99g999g990') dados,
       to_char(sum(undo) / 1048576, 'fm99g999g990') undo,
       to_char(sum(redo) / 1048576, 'fm99g999g990') redo,
       to_char(sum(temp) / 1048576, 'fm99g999g990') temp,
       to_char(sum(free) / 1048576, 'fm99g999g990') livre,
       to_char(sum(dados + undo + redo + temp) / 1048576, 'fm99g999g990') total
from (
  select sum(decode(substr(t.contents, 1, 1), 'P', bytes, 0)) dados,
         sum(decode(substr(t.contents, 1, 1), 'U', bytes, 0)) undo,
         0 redo,
         0 temp,
         0 free
  from dba_data_files f, dba_tablespaces t
  where f.tablespace_name = t.tablespace_name
  union all
  select 0 dados,
         0 undo,
         0 redo,
         sum(bytes) temp,
         0 free
  from dba_temp_files f, dba_tablespaces t
  where f.tablespace_name = t.tablespace_name(+)
  union all
  select 0 dados,
         0 undo,
         sum(bytes * members) redo,
         0 temp,
         0 free
  from v$log
  union all
  select 0 dados,
         0 undo,
         0 redo,
         0 temp,
         sum(bytes) free
  from dba_free_space f, dba_tablespaces t
  where f.tablespace_name = t.tablespace_name and
        substr(t.contents, 1, 1) = 'P'
);

prompt

SET FEED ON

Archives gerados por hora/dia – Oracle

Neste artigo mostrarei um script que mostra a quantidade dearchives gerados por hora pelo RMAN.

Este script foi criado pelo Jeffrey M. Hunter. Este script ‘analisa’ a view v$log_history.

Este script pode servir como um troubleshooting simples, por exemplo: às 13hrs sempre são gerados, em média, cerca de 5 de archives, porém alguns dias depois você percebe que foram gerados 10 archives no mesmo horário, ou seja, pode ser indício que algum processo pesado foi executado. É importante lembrar que isto são apenas indícios e que uma análise mais detalhada deverá ser realizada.

SET LINESIZE 145
SET PAGESIZE 9999
SET VERIFY   off

COLUMN H00   FORMAT 999     HEADING '00'
COLUMN H01   FORMAT 999     HEADING '01'
COLUMN H02   FORMAT 999     HEADING '02'
COLUMN H03   FORMAT 999     HEADING '03'
COLUMN H04   FORMAT 999     HEADING '04'
COLUMN H05   FORMAT 999     HEADING '05'
COLUMN H06   FORMAT 999     HEADING '06'
COLUMN H07   FORMAT 999     HEADING '07'
COLUMN H08   FORMAT 999     HEADING '08'
COLUMN H09   FORMAT 999     HEADING '09'
COLUMN H10   FORMAT 999     HEADING '10'
COLUMN H11   FORMAT 999     HEADING '11'
COLUMN H12   FORMAT 999     HEADING '12'
COLUMN H13   FORMAT 999     HEADING '13'
COLUMN H14   FORMAT 999     HEADING '14'
COLUMN H15   FORMAT 999     HEADING '15'
COLUMN H16   FORMAT 999     HEADING '16'
COLUMN H17   FORMAT 999     HEADING '17'
COLUMN H18   FORMAT 999     HEADING '18'
COLUMN H19   FORMAT 999     HEADING '19'
COLUMN H20   FORMAT 999     HEADING '20'
COLUMN H21   FORMAT 999     HEADING '21'
COLUMN H22   FORMAT 999     HEADING '22'
COLUMN H23   FORMAT 999     HEADING '23'
COLUMN TOTAL FORMAT 999,999 HEADING 'Total'


SELECT
    SUBSTR(TO_CHAR(first_time, 'DD/MM/RRRR HH:MI:SS'),1,10)                       DAY
  , SUM(DECODE(SUBSTR(TO_CHAR(first_time, 'DD/MM/RR HH24:MI:SS'),10,2),'00',1,0)) H00
  , SUM(DECODE(SUBSTR(TO_CHAR(first_time, 'DD/MM/RR HH24:MI:SS'),10,2),'01',1,0)) H01
  , SUM(DECODE(SUBSTR(TO_CHAR(first_time, 'DD/MM/RR HH24:MI:SS'),10,2),'02',1,0)) H02
  , SUM(DECODE(SUBSTR(TO_CHAR(first_time, 'DD/MM/RR HH24:MI:SS'),10,2),'03',1,0)) H03
  , SUM(DECODE(SUBSTR(TO_CHAR(first_time, 'DD/MM/RR HH24:MI:SS'),10,2),'04',1,0)) H04
  , SUM(DECODE(SUBSTR(TO_CHAR(first_time, 'DD/MM/RR HH24:MI:SS'),10,2),'05',1,0)) H05
  , SUM(DECODE(SUBSTR(TO_CHAR(first_time, 'DD/MM/RR HH24:MI:SS'),10,2),'06',1,0)) H06
  , SUM(DECODE(SUBSTR(TO_CHAR(first_time, 'DD/MM/RR HH24:MI:SS'),10,2),'07',1,0)) H07
  , SUM(DECODE(SUBSTR(TO_CHAR(first_time, 'DD/MM/RR HH24:MI:SS'),10,2),'08',1,0)) H08
  , SUM(DECODE(SUBSTR(TO_CHAR(first_time, 'DD/MM/RR HH24:MI:SS'),10,2),'09',1,0)) H09
  , SUM(DECODE(SUBSTR(TO_CHAR(first_time, 'DD/MM/RR HH24:MI:SS'),10,2),'10',1,0)) H10
  , SUM(DECODE(SUBSTR(TO_CHAR(first_time, 'DD/MM/RR HH24:MI:SS'),10,2),'11',1,0)) H11
  , SUM(DECODE(SUBSTR(TO_CHAR(first_time, 'DD/MM/RR HH24:MI:SS'),10,2),'12',1,0)) H12
  , SUM(DECODE(SUBSTR(TO_CHAR(first_time, 'DD/MM/RR HH24:MI:SS'),10,2),'13',1,0)) H13
  , SUM(DECODE(SUBSTR(TO_CHAR(first_time, 'DD/MM/RR HH24:MI:SS'),10,2),'14',1,0)) H14
  , SUM(DECODE(SUBSTR(TO_CHAR(first_time, 'DD/MM/RR HH24:MI:SS'),10,2),'15',1,0)) H15
  , SUM(DECODE(SUBSTR(TO_CHAR(first_time, 'DD/MM/RR HH24:MI:SS'),10,2),'16',1,0)) H16
  , SUM(DECODE(SUBSTR(TO_CHAR(first_time, 'DD/MM/RR HH24:MI:SS'),10,2),'17',1,0)) H17
  , SUM(DECODE(SUBSTR(TO_CHAR(first_time, 'DD/MM/RR HH24:MI:SS'),10,2),'18',1,0)) H18
  , SUM(DECODE(SUBSTR(TO_CHAR(first_time, 'DD/MM/RR HH24:MI:SS'),10,2),'19',1,0)) H19
  , SUM(DECODE(SUBSTR(TO_CHAR(first_time, 'DD/MM/RR HH24:MI:SS'),10,2),'20',1,0)) H20
  , SUM(DECODE(SUBSTR(TO_CHAR(first_time, 'DD/MM/RR HH24:MI:SS'),10,2),'21',1,0)) H21
  , SUM(DECODE(SUBSTR(TO_CHAR(first_time, 'DD/MM/RR HH24:MI:SS'),10,2),'22',1,0)) H22
  , SUM(DECODE(SUBSTR(TO_CHAR(first_time, 'DD/MM/RR HH24:MI:SS'),10,2),'23',1,0)) H23
  , COUNT(*)                                                                      TOTAL
FROM
  v$log_history  a
GROUP BY 
	SUBSTR(TO_CHAR(first_time, 'DD/MM/RRRR HH:MI:SS'),1,10)
ORDER BY 1